Gestão investe em saúde e diminuem óbitos por AVC, câncer, infarto e outras doenças não transmissíveis em Belém

Os investimentos em saúde realizados pela gestão da prefeita Renata diminuíram as mortes causadas por AVC, câncer, infarto, e outras doenças crônicas classificadas como não transmissíveis, desde o ano de 2017 no município de Belém. As informações podem ser consultadas no Sistema de Informação de Atenção Básica (TabNet), do Ministério da Saúde.

De 2014 a 2016, as mortes causadas pelas referidas doenças aumentaram de 99 para 120. Já no primeiro ano da atual gestão, em 2017, o número diminuiu para 100, e no ano seguinte, em 2018, caiu para 89 óbitos. Neste ano de 2019, foram registrados até agora 46 óbitos.

A queda no número de mortes por doenças não transmissíveis (AVC, diabetes, câncer, infarto etc.) nos últimos dois anos, em Belém, deve-se a uma série de programas e ações desenvolvida pela gestão municipal, como a abertura da Academia de Saúde, a ampliação do atendimento na Policlínica municipal com profissionais nas áreas de Cardiologia, Neurologia, Endocrinologia, Urologia etc., a abertura do Centro de Reabilitação, a aquisição de equipamentos e ampliação do atendimento bucal da população nas Unidades de Saúde e no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO).

Além dessas ações em saúde, a criação do programa Belém sob Medida, com acompanhamento multiprofissional a pessoas com sobrepeso, as atividades físicas e recreativas realizadas com grupos de idosos do CRAS, a eficiência da equipe do SAMU, que recebeu uma nova ambulância, e as parcerias com o Hospital Distrital e o Hospital Metropolitano na realização de exames de alta complexidade, como ressonância magnética e tomografia, também contribuíram para a diminuição dos óbitos por doenças crônicas não transmissíveis no município de Belém.

“Nesses dois anos, nossa preocupação com a saúde foi muito grande. A queda no número de óbitos não acontece à toa. Esse resultado deve-se a uma integralidade de ações. A diminuição de óbitos por doenças crônicas não transmissíveis ( tumores, doenças endócrinas e dos sistemas circulatório e respiratório) comprova o investimento da gestão e o comprometimento das equipes de saúde”, destacou a prefeita Renata.

COMPARTILHAR