Vigilância Sanitária de Belém ressalta cuidados importantes com a água e os alimentos para conter o avanço do coronavírus

A Prefeitura de Belém, através da Vigilância Sanitária municipal, reforça as orientações da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) sobre os cuidados necessários com a água e os alimentos em tempos de novo coronavírus, além de manter a higiene pessoal, usar máscaras e evitar aglomeração.

ATENÇÃO À ORIGEM DA ÁGUA

No caso da água, a diretora da Agevisa, Jória Viana Guerreiro, destaca que é essencial que as pessoas evitem o consumo de produtos de origem desconhecida ou não confiável (como águas comercializadas nas vias públicas), assim como de água não tratada. “Mesmo no caso da água tratada (aquela que chega através das torneiras), esta deve ser filtrada e (se possível) fervida antes do consumo”. E acrescentou: “Quanto às localidades onde não haja tratamento da água, aí se torna obrigatória a filtragem e a fervura da mesma sob pena de contaminação do organismo, com consequências que podem ir de uma simples dor de barriga até a morte”.

ALIMENTO PARA A SAÚDE

“Para que os alimentos cumpram bem as suas funções no nosso organismo, não basta que eles pertençam ao grupo considerado saudável, como as frutas, as verduras, os grãos, os legumes, os tubérculos, as carnes, os peixes, os ovos, as raízes e outras fontes de fibras, vitaminas e minerais”, comentou Jória Guerreiro. Segundo explicou, tão importante quanto os nutrientes presentes nos alimentos é a higienização dos mesmos, pois um alimento que não seja devidamente lavado, manuseado e acondicionado pode servir como depositário e condutor de inúmeros tipos de microrganismos nocivos à saúde humana, favorecendo o aparecimento das chamadas ‘DTAs’ (Doenças Transmitidas por Alimentos), que podem ser simples ou mortais. “Havendo contaminação, o auxílio médico é imprescindível, e a automedicação deve ser evitada em todos os casos”, afirmou.

CUIDADOS PERMANENTES

Os cuidados com a água para consumo humano e com os alimentos são essenciais em todas as épocas. Entretanto, no atual cenário de ameaça pela contaminação do coronavírus eles são ainda mais importantes, pois servem para evitar o alastramento da contaminação por um vírus para cujos efeitos maléficos ao organismo humano ainda não existem tratamento médico nem medicamento eficaz e seguro em todo o mundo.

Com informações da Agevisa/PB

Saiba mais: https://bit.ly/36VlEgT

COMPARTILHAR